21 outubro 2017

AVALIAÇÃO: 'É hora de entender que o bullying está levando à morte'

Por trás do ato do estudante de 14 anos que, vítima de bullying, foi à escola e abriu fogo contra colegas em Goiânia, há uma teia de problemas que, com a escola no centro, envolve as famílias, as instituições, a espetacularização da violência e também a recorrência de visões radicais na sociedade. Essa é avaliação do psicólogo Sergio Kodato, 63, coordenador do Observatório de Violência e Práticas Exemplares ligado à Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da USP de Ribeirão Preto – onde leciona.
Mas como isso se caracteriza até que chegue a uma violência mais extrema como essa?
É uma coisa contínua, sistemática, e o jovem vai remoendo. Nesse caso especifico, chama a atenção que o modus operandi é muito parecido com o de serial killers americanos. E episódios como esse são espetacularizados pela mídia. Então, para esse indivíduo, serve como método. Desde o episódio de Columbine, serial killers são vítimas de bullying que sofrem calados e vão se transformando em uma bomba ambulante. Vão alimentando desejos de vingança. E, como ocorre em outros casos, a espetacularização tem um efeito mimético.
Mas por que a recorrência de casos dentro de escolas?
A escola é um lugar da negociação, é essencialmente onde os conflitos vão aparecer. Nossa luta é que professores e toda equipe se preocupem com medidas de resolução, de modo negociado. Isso não é feito. Isso passa pelos pais, que muitas vezes vão para brigar nas escolas.
Isso afeta todas as escolas de maneira igual?
Existem escolas mais abertas e escolas intolerantes, o que tem a ver com a gestão. Se uma gestão promove a diversidade, a negociação, não deixa acontecer. Se a direção é mais travada, os alunos não enxergam um canal de diálogo. Porque os conflitos precisam ser resolvidos de alguma forma. A escola tem que se preocupar com aqueles que parecem mal humorados, preocupados, porque são os que potencialmente geram situações de conflitos.
E esse jovens acabam se sentindo sozinhos...
Quando você está sozinho, acuado, vai recorrer a essa saída violenta. Porque a representação que tem é que todo mundo está contra você. Acaba gerando uma situação que chamamos de "ideação suicida", e o jovem começa a pensar em matar. "Todo mundo está contra mim, meu pai não sabe o que fazer". E como a mídia já deu um modelo...
Existe uma faixa etária em que a preocupação com esse comportamento tem de ser maior?
Sim, é a adolescência, onde tem o desenvolvimento moral. Que é quando, segundo [o psicólogo Jean] Piaget, o julgamento moral ainda está se formando. Há um processo de desenvolvimento da anomia, depois passa pela heteronomia, onde se radicaliza. [Nesse momento], tenho que entender que o certo é certo, o errado é errado. Depois é que vem a autonomia, quando vai se discutir, fazer o meio termo. A escola não propicia essa passagem, a família não desenvolve isso. As instituições no Brasil ainda estão na heteronomia, por isso tem esse radicalismo, um fanatismo. Este é um momento em que a questão moral precisa ser balanceada na escola. Mas tem ainda a questão da impotência e rejeição, seja da família ou dos professores.
Em que medida a violência na sociedade, e o aprofundamento de visões radicais, tem relação com conflitos dentro do ambiente escolar?
Geralmente, a discussão radical é de uma eliminação do opositor, para, na verdade, não lidar com o conflito. Precisamos problematizar o preconceito, por exemplo, mas o que se vê é é o acirramento do conflito, do racismo, homofobia, na política.
Como essa escola pode superar um trauma como esse?
Sabe-se que diante de uma situação traumática, tende-se a esquecer e negar. O problema é que a situação traumática volta na sua consciência. Aquele cadáver está ali. A escola tem discutir a segurança do ponto de vista escolar e comunitário, as razões. A catástrofe e a tragédia, para ser superada, precisa ser expressada. Por isso os artistas representam as catástrofes, é uma forma de elaboração. Se essa escola quiser continuar, vai entrar num período de luto, chorar as perdas, mas tem de pensar nas lições.
E em outras escolas, é hora de falar sobre o assunto é melhor adiar uma abordagem?
É o momento de se preocupar e ver que o bullying está levando ao óbito. Todas as escolas deveriam se preocupar com mecanismos de mediação. Ter urnas, canal de denúncias, para que quem sofre ter a quem recorrer. Os conflitos devem ser resolvidos na sala, porque está se formando cidadania. E precisamos ensinar como encarar os conflitos de forma civilizada.
    

CEARÁ: Jovem é baleada por colega dentro de universidade

Uma estudante de Letras foi atingida com dois tiros no rosto, dentro do campus da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), na noite desta sexta-feira (20), no Ceará. O autor dos disparos é, segundo a polícia, um aluno do mesmo curso, que disse ser ex-namorado da jovem. O crime ocorre no mesmo dia em que um adolescente de 14 nos matou dois colegas e deixou outros quatro feridos dentro de uma escola em Goiânia (GO). Conforme a Polícia Militar, os disparos foram efetuados no bloco 2 da Unidade Acadêmica dos Palmares, em Acarape, cidade a 61,8 km de Fortaleza. A jovem, atingida no rosto e no pescoço, foi levada ao Hospital Municipal de Acarape Doutorzão. As informações são de que o quadro da jovem é estável e que ela não corre risco de morte.
    

FARPAS: Ciro e Luciana Genro batem boca por declaração sobre testosterona

Um dia após dizer que não vê Marina Silva (Rede) "com energia" e que o "momento é muito de testosterona", o pré-candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes, trocou farpas nesta sexta-feira (20) com a ex-deputada federal Luciana Genro (RS) em uma rede social. A discussão começou após Luciana publicar um vídeo no Facebook acusando Ciro de machista por sua declaração. "Estou muito indignada em ter ouvido mais uma vez as imprecações machistas de Ciro Gomes", afirmou Luciana no vídeo. "Dessa vez ele passou de todos os limites dizendo que o momento político exige testosterona e, por isso, uma mulher não podia estar à frente dos processos de mudança do Brasil". Pouco depois, Ciro Gomes reagiu e chamou Luciana de "descuidada, demagoga e oportunista", afirmando que não fizera tais declarações. "O que eu falei denunciando, era que o Brasil estava vivendo um momento político de muita agressividade e ódio e de testosterona que, neste contexto quer dizer o mesmo, ou seja, agressividade", disse Ciro. 
    

RIO: Polícia prende funkeiro suspeito de ajudar Rogério 157 a fugir

Autor de funks como 'Piloto de fuga' e 'Bonde do 157', Fabiano Batista Ramos, mais conhecido como o funkeiro MC Tikão, foi preso nesta sexta-feira (20), no Rio de Janeiro. Segundo informações do RJTV, ele é suspeito de participar da fuga de Rogério Avelino Silva, o Rogério 157 da Rocinha, e da troca de facção. Uma testemunha teria contado à polícia que foi na garupa da moto de MC Tikão que Rogério 157 conseguiu fugir do seu esconderijo na comunidade, quando a Rocinha foi ocupada pelas Forças Armadas, em setembro, a fim de controlar a guerra do tráfico entre a facção de Rogério e os homens de Nem.
    

SÃO PAULO: Polícia diz que meninas mortas foram violentadas

As meninas Adrielly Mel Severo Porto, a Mel, e Beatriz Moreira dos Santos, a Bia, ambas de 3 anos, foram mortas por asfixia e depois estupradas em um barraco de São Miguel Paulista, na zona leste de São Paulo, no mesmo dia em que desapareceram. Segundo a Polícia Civil, este é o relato de confissão de Marcelo Pereira de Souza, preso nesta sexta-feira (20). Apontado como comparsa, Everado de Jesus Santos também foi preso. Segundo a delegada Ana Paula Rodrigues, responsável pelo caso, os dois estavam bebendo em um bar, quando viram as meninas brincando, na tarde do dia 24 de setembro. Então, ofereceram doce para atrair a atenção das crianças. "Eles já estavam de olho nas duas, porque as meninas ficavam brincando na comunidade sem a proteção dos pais", disse.
    

ALEMANHA: Homem esfaqueia pessoas em estação de metrô em Munique

Um homem esfaqueou várias pessoas na estação de metro em Rosenheimer Platz, em Munique, neste sábado, diz um comunicado da polícia no Twitter. De acordo com a Reuters, o suspeito está sendo procurado pelas autoridades. A polícia pede à população do local permanecer em casa. O suspeito é um homem de cerca de 40 anos que fugiu em uma bicicleta preta.
    

SÃO PAULO: MP investiga ameaças online contra jornalistas

Criado em 2016, o Núcleo de Combate a Crimes Cibernéticos, do Ministério Público do Estado de São Paulo, passou a estimular a denúncia de agressões a jornalistas por meio da internet. A mudança no órgão partiu de um primeiro inquérito aberto no final de setembro, para tratar de uma série de ameaças e ofensas contra Mauro Cezar Pereira, comentarista da ESPN. O jornalista repassou ao núcleo os registros digitais das agressões, a base para a investigação da delegacia voltada aos delitos de intolerância esportiva. O procurador Paulo Marco Ferreira Lima sugere encaminhar a denúncia ao núcleo. "O caso do Mauro é emblemático", diz o coordenador do núcleo. O alvo são os chamados "haters", usuários da internet que postam mensagens de ódio.
    

GENEROSIDADE: Pré-votação de denúncia,Temer garante mais R$ 800 milhões em emendas

Prestes a passar pela segunda votação de denúncia na Câmara dos Deputados, o presidente Michel Temer continua generoso na liberação de emendas. Só em outubro, até o dia 18, mais R$ 800 milhões foram compromissados com iniciativas de bancadas, deputados e senadores. O valor empenhado neste mês  é 314% maior do que o do mesmo período do ano passado - quando Temer liberou R$ 257,9 milhões do orçamento. No entanto, o montante ainda está muito abaixo dos reservados quando a primeira denúncia foi apreciada pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa, e estava sendo preparada para ser avaliada em plenário. As informações são da ONG Contas Abertas. Em junho e julho, R$ 2 bilhões e R$ 2,4 bilhões, respectivamente, foram empenhados para os pleitos dos parlamentares. Nesses meses tramitou a primeira contra Temer na Câmara dos Deputados. Com os valores recorde, aproximadamente R$ 6,4 bilhões já estão comprometidos para as emendas de parlamentares e bancadas.
    

GOIÂNIA: Corpos de adolescentes mortos por colega em escola são velados

Serão velados e sepultados na manhã sábado (21), em Goiânia, os corpos dos estudantes João Pedro Calembo e João Vitor Gomes, ambos de 14 anos. Os dois foram assassinados a tiros por um colega dentro da sala em que estudavam, no Colégio Goyases, na manhã desta sexta-feira (20). Outros quatro alunos estão feridos. Em depoimento, na tarde desta sexta-feira (20), o autor dos disparos, um adolescente de 14 anos, disse que foi motivado por bullying e que se inspirou nos casos da escola de Columbine (ocorrido em 1999, nos Estados Unidos), e de Realengo (em 2011, no Rio de Janeiro). O corpo de João Vitor, que era amigo do atirador, está sendo velado desde a madrugada deste sábado, no Cemitério Jardim das Palmeiras. O enterro será às 11h. O velório do adolescente João Pedro, que seria o principal alvo do colega, por supostamente praticar bullying contra ele, começou à 0h30 e seguirá até às 10h, quando está marcado o sepultamento.
    

JOGO RASTEIRO: Temer quer que deputados não compareçam à votação de denúncia

Com o receio de ter menos votos favoráveis na votação da próxima denúncia, na comparação com os 263 que obteve na primeira, o presidente Michel Temer traça estratégia para que deputados contrários não compareçam à sessão. Segundo a coluna "Painel", da Folha de S. Paulo, o Planalto trabalha, inclusive, com o cenário de Temer ter mais votos contrários, o que não necessariamente levaria a denúncia adiante, mas demonstraria fragilidade - o inquérito segue ao Supremo Tribunal Federal (STF) na eventualidade de 342 parlamentares votarem para tal.  Após uma possível vitória, avaliam aliados, o presidente precisará fazer uma análise da base e uma reforma ministerial de forma a desmantelar a insatisfação de parlamentares do chamado centrão.
    

20 outubro 2017

ESTRATÉGIA: Temer exonera oito ministros para garantir voto contra a denúncia na Câmara

O Diário Oficial da União publica hoje (20) decretos assinados pelo presidente da República, Michel Temer, com a exoneração de oito ministros de Estado. Os ministros exonerados têm mandatos de deputados e voltam à Câmara, onde deverão participar da votação, em plenário, prevista para a próxima quarta-feira (25), da segunda denúncia da Procuradoria-Geral da República contra o presidente Temer. Na Comissão de Constituição e Justiça da Casa, em sessão realizada na última quarta-feira (18), o relatório a favor da inadmissibilidade da denúncia foi aprovado pela maioria dos deputados que integram o colegiado. Nos decretos de exoneração publicados nesta sexta-feira constam os nomes dos seguintes ministros: Antonio Imbassahy, da Secretaria de Governo; Leonardo Picciani, ministro do Esporte; Ronaldo Nogueira, ministro do Trabalho; Sarney Filho, do Meio Ambiente; Marx Beltrão, do Turismo; Maurício Quintella Lessa, dos Transportes; Mendonça Filho, da Educação; e Bruno Cavalcanti, das Cidades.
    

POLÔNIA: Homem com faca ataca multidão em shopping

Um homem portando uma faca atacou clientes em um shopping da cidade polonesa de Stalowa Wola, informa a mídia local. Não há informações sobre vítimas mortais. Seis pessoas foram levadas ao hospital com lesões de vários graus de gravidade. Segundo fontes não oficiais, alguns dos feridos se encontram em estado gravíssimo e correm perigo de morte.