03 abril 2017

TSE: Parecer diz que chapa Dilma-Temer recebeu R$ 112 milhões de recursos irregulares

A chapa presidencial composta por Dilma Rousseff (PT) e Michel Temer (PMDB) recebeu pelo menos R$ 112 milhões na eleição de 2014, segundo parecer do vice-procurador-Geral Eleitoral, Nicolao Dino na ação que pede a cassação da chapa. As informações foram publicadas na edição deste domingo (2) do jornal “ Folha de S.Paulo ”. Segundo a reportagem, o Dino detalhou que, dos R$ 112 milhões que foram injetados à campanha da chapa Dilma-Temer, R$ 45 milhões chegaram por meio de caixa dois. O valor é a soma de R$ 20 milhões pagos irregularmente ao marqueteiro João Santana com R$ 45 milhões utilizados para comprar o apoio de quatro partidos que compuseram a coligação. O objetivo era ampliar o tempo de televisão no horário eleitoral gratuito. Outros R$ 17 milhões utilizados por Dilma e Temer teriam sido fruto de uma operação terceirizada, que recebeu do Ministério Público Federal o apelido de “caixa três”. O esquema funcionaria por meio de depósitos feitos pelo grupo Petrópolis a mando da empreiteira Odebrecht. O reembolso ao grupo fabricante de bebidas teria sido feito em contas no exterior. Por fim, os R$ 50 milhões restantes seriam resultado de propina paga pela Odebrecht para que o governo federal editasse em 2009 – ainda na gestão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) – a Medida Provisória 470, que ficou conhecida como Refis (Programa de Recuperação Fiscal) da Crise.
(IG)
Reações: