21 março 2017

APÓS 23 ANOS: Papa pede perdão por genocídio em Ruanda

Em audiência com o presidente de Ruanda, Paul Kagame, na última segunda-feira (20), o papa Francisco pediu "perdão" pelos pecados da Igreja Católica no genocídio que deixou entre 800 mil e 1 milhão de mortos em 1994. Um pedido de desculpas já havia sido feito por João Paulo II em 2000, durante o Jubileu daquele ano, mas indicando que a culpa fora de cada sacerdote envolvido no massacre, e não da Santa Sé em si. "O Papa manifestou sua profunda dor e da Igreja pelo genocídio contra os tutsis, expressou solidariedade às vítimas e a todos que continuam a sofrer as consequências daqueles trágicos acontecimentos e, em linha com o gesto de São João Paulo II, renovou a súplica a Deus por perdão pelos pecados e pela falta da Igreja e de seus membros, incluindo sacerdotes, religiosos e religiosas que cederam ao ódio e à violência, traindo sua própria missão evangélica", diz um comunicado da Santa Sé.
Reações: