22 março 2017

ÁGUA: Mananciais que abastecem São Paulo estão em nível crítico

Na comemoração do Dia Mundial da Água, um alerta: os sete principais mananciais que abastecem a macrometrópole paulista apresentam em mais da metade de sua área (54,93%) um grau de fragilidade ambiental alto ou muito alto, comprometendo sua habilidade de produzir água para a região. Recuperá-los, com o plantio de 920 milhões de mudas, poderia custar algo entre R$ 1,4 bilhão e R$ 2,4 bilhão. Os dados fazem parte de um levantamento feito pelo Labgeo da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP) e pelo Instituto Democracia e Sustentabilidade (IDS), que avaliou as áreas mais críticas, do ponto de vista da gestão hídrica, e quais são as possíveis intervenções para melhorar sua capacidade produção de água, como restauração da vegetação nativa e conservação. No conceito de macrometrópole paulista foi considerada quase toda a porção sudeste do Estado, incluindo as regiões metropolitanas de São Paulo, Baixada Santista, Campinas, Vale do Paraíba e litoral norte, além das aglomerações urbanas de Jundiaí, Piracicaba e Sorocaba.
Reações: