19 abril 2018

AGUDOS: Após desabamento, creche poderá ser demolida


“Ouvi um barulho ensurdecedor e vi uma fumaça subindo”. É assim que a servente da Escola Municipal de Ensino Infantil (Emei) Professora Diomira Napoleone Paschoal, Camila Silva Costa, de 29 anos, descreveu o momento do desabamento do telhado do estabelecimento de ensino de Agudos, no começo da manhã dessa quarta-feira (18). Ela, inclusive, socorreu as vítimas que estavam no refeitório da instituição. Duas professoras tiveram fraturas e ficaram internadas no Hospital Unimed Bauru, para onde foram transferidas, 11 crianças e quatro berçaristas se machucaram de forma leve e foram conduzidas à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e à Unidade Básica de Saúde (UBS) do município. O prédio da escola municipal foi interditado nessa quarta-feira (18) pela Defesa Civil. As aulas foram suspensas da creche berçário que atende 121 alunos. A Secretaria de Educação de Agudos vai fazer estudos para remanejamento dos alunos para outra unidade. Após o desabamento, o prefeito Altair Francisco declarou que tem planos de demolir o prédio. Em nota oficial, o engenheiro da Prefeitura de Agudos, Agostinho de Barros Tendolo, explicou que o desabamento ocorreu devido a infiltrações de água da chuva, que comprometeram o madeiramento e provocaram o rompimento de uma "tesoura de madeira". Esta, ao entrar em colapso, rompeu todo o telhado do refeitório.
(JCnet)
Reações:
    

0 comments:

Postar um comentário