10 agosto 2017

ACUSAÇÃO: Advogado diz que Odebrecht falsificou documentos entregues à Lava Jato

O advogado Rodrigo Tacla Durán, que é acusado de ter lavado mais de R$ 50 milhões para a Odebrecht, disse que a empresa falsificou extratos bancários apresentados aos investigadores da Lava Jato como provas de repasses de propina. Os documentos fraudados são do Meinl Bank, filial do banco austríaco comprado pela Odebrecht no Caribe. De acordo com o advogado, os documentos não poderiam ter sido emitidos nas datas em que a empresa alega, porque as contas estavam bloqueadas. Além disso, Durán aponta divergências na redação e defende que os extratos não foram gerados automaticamente pelo sistema do banco. O advogado teve a prisão decretada pelo Ministério Público Federal (MPF), mas está em liberdade provisória na Espanha, que não quis extraditá-lo. As acusações contra a empreiteira constam em uma peça enviada por ele a Cingapura, com o objetivo de esclarecer operações financeiras das quais participou com a Odebrecht naquele país.
Reações:
    

0 comments:

Postar um comentário