17 julho 2017

'Somos um país do jeitinho', diz secretário sobre violência no Rio

O secretário de Segurança do Rio de Janeiro, Roberto Sá, atribuiu a violência desenfreada no estado às leis e à falta de recursos. "Estou pagando um preço caro enfrentando o que estou enfrentando", afirmou o titular da pasta, em entrevista ao Fantástico, da Rede Globo. "Se soubesse que essas tragédias se sucederiam com essa crueldade e frequência e que hoje eu estaria dessa forma, tentando explicar o que a polícia pode melhorar, com tamanha escassez de recursos e o Brasil vivendo essa tragédia moral, eu acho que estaria em casa vendo o programa de vocês (Fantástico) e torcendo, rezando muito para que quem estivesse ali (no comando da Secretaria de Segurança) tivesse um equilíbrio para aguentar essa pressão toda", argumentou Sá. Ele ainda acrescentou que tem cobrado da polícia a diminuição de confrontos. Mudanças na legislação para reduzir penas também estão entre os objetivos do secretário. "Nós somos um país da lei que não pega, um país do jeitinho, da impunidade, campeão de linchamento. Somos um país onde o preso não é preso; é preso, mas responde em liberdade", opinou Sá.
Reações:
    

0 comments:

Postar um comentário