05 julho 2017

ILHABELA: Repórter presa por ligação com facção não saía de casa há 3 meses

A jornalista paulista e advogada Luana de Almeida Domingos, de 32 anos, contou que ficou os últimos três meses trancada na casa em Ilhabela (SP) onde foi presa nesta terça-feira (4), acusada de transmitir ordens da maior facção de tráfico de São Paulo, o PCC, para fora do presídio. De acordo com o Extra, Luana Don, como era conhecida, estava foragida desde novembro de 2016. A jornalista disse aos policiais que não saía do imóvel nem para ir à padaria. Quem costumava sair para fazer compras era sua prima, que também vivia no local. Ainda segundo a reportagem, Luana Don chorou bastante ao ser encontrada durante a ação da Polícia Civil do Rio, com apoio da Polícia Civil de São Paulo. "Ela negou que estivesse morando no Rio nos últimos meses. Disse que passou o tempo todo nessa casa, que disse ser de um tio", contou Fabrício Oliveira, delegado titular da Delegacia Especializada em Armas, Munição e Explosivos (Desarme).
Reações:
    

0 comments:

Postar um comentário