05 junho 2017

Imunoterapia venceu o tipo mais agressivo de câncer de mama

Médicos dos EUA declararam que conseguiram vencer o câncer de mama triplo negativo, a forma mais agressiva de câncer de mama, com a ajuda de anticorpos que lançam o sistema imunológico contra as células cancerosas. Os resultados dos testes em questão foram tornados públicos durante uma conferência da Sociedade Americana de Oncologia Clínica em Chicago. "A droga não fez efeito a todas, mas apenas a algumas das mulheres com quem temos trabalhado, mas em todos esses casos o efeito foi muito bom e estável e durou por um longo período de tempo. A imunoterapia causa menos efeitos colaterais e pode prolongar mais a vida do que a quimioterapia e pode ajudar as mulheres a mudarem radicalmente a batalha contra o câncer da mama", disse Sylvia Adams da Universidade de Nova York (nos EUA). Nos últimos anos, os biólogos moleculares e os médicos começaram depositando grandes esperanças na chamada imunoterapia para lutar contra o câncer, alergias, diabetes e outras doenças que até agora têm sido consideradas incuráveis. O método é na realidade muito simples – os cientistas estão tentando "lançar" a imunidade humana contra as células cancerosas utilizando vários anticorpos, micróbios vivos e uma série de outros "chamarizes" incomuns.
Reações: