12 maio 2017

"TOTALMENTE INVEROSSÍMIL": Cardozo refuta delação de marqueteiros

O ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo classificou como "totalmente inverossímil" a delação do marqueteiro João Santana e da mulher dele, Monica Moura. Ele disse que só recebia informações da Polícia Federal a respeito de prisões ou mesmo de diligências de busca e apreensão determinadas pela força-tarefa da Lava Jato no momento em que a operação era desencadeada. Cardozo confirmou que, logo após ser informado, avisava a então presidente Dilma Rousseff. Disse, porém, que esse era o seu dever como ministro da Justiça. "Ela estava informada dentro daquilo que a lei permite que seja feito. Nada além disso", argumentou o ex-ministro, que está em Londres para participar de um debate com o juiz Sérgio Moro, no sábado, sobre Democracia e Judiciário. "É uma situação absolutamente legal, normal e correta." Ao Estado, por telefone, Cardozo disse que somente após o juiz levantar o sigilo de investigações da Lava Jato é que conversava com Dilma sobre o assunto.
Reações: