07 maio 2017

CNBB: Risco é termos soluções radicais na política, diz líder católico

Num momento em que "o fisiologismo político leva a barganhas sem escrúpulos", a ideia pode soar sedutora. Mas não nos deixei cair em tentação e eleger "salvadores da pátria": eis a tônica da nota oficial que a CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) lançou na quinta (4), último dos dez dias de sua anual Assembleia-Geral. "Com o exercício desfigurado da política, vem a tentação de ignorar os políticos, permitindo-lhes decidir os destinos do Brasil a seu bel prazer. Desconsiderar os partidos [...] favorece a ascensão de salvadores da pátria", diz o texto. Em entrevista, o presidente da principal entidade católica do país, o arcebispo de Brasília, dom Sergio da Rocha, 57, fala sobre riscos que pairam sobre a sociedade: o vácuo político que periga gerar "soluções antidemocráticas", as reformas tocadas pelo governo Michel Temer e a "privatização da fé".
Reações: