27 maio 2017

ACRE: Dois meses após sumiço de 'menino do Acre', 4 livros são decifrados

Quase dois meses após o misterioso desaparecimento de Bruno Borges, no Acre, a família continua tentando decodificar os 14 livros manuscritos na tentativa de encontrá-lo. O estudante de psicologia deixou, além dos cadernos, mensagens nas paredes do quarto e uma estátua do filósofo Giodarno Bruno. A última vez em que foi visto foi em 27 de março. Mãe de Bruno, a professora Denise Borges revelou que tenta viver um dia de cada vez. Em entrevista ao R7, ela contou que já leu os quatro livros que a família conseguiu decifrar. "Bruno sempre quis deixar uma contribuição maior para este mundo capitalista e perdido. Ele tem está vontade. É um jovem sedento de conhecimento é muito doador. Sempre foi". Sobre a investigação policial, Denise Borges disse não ter muito detalhes. "A polícia está mantendo contato conosco sim, mas falam pouco para que não atrapalhe as investigações". A mãe revelou ainda que a família e alguns amigos acreditavam que encontrariam Bruno no último dia 21 de abril, data do aniversário de 25 anos dele e do irmão gêmeo, Rodrigo Borges.
Reações: