26 abril 2017

SAÚDE: ONGs pedem tratamento para câncer de mama metastático no SUS

Entidades e organizações não-governamentais defenderam hoje (26), em audiência pública na Assembleia Legislativa de São Paulo, a incorporação do tratamento de câncer de mama metastático, ou seja, no estágio mais avançado da doença, ao Sistema Único de Saúde (SUS). O tema foi debatido hoje também em outros estados brasileiros. A terapia combinada, que usa os medicamentos Trastuzumabe e Pertuzumabe, aumenta em 20 a 56 meses o tempo de vida da paciente, além de melhorar sua saúde nos últimos anos de vida. João Bosco Ramos Borges, médico e presidente da Sociedade Brasileira de Mastologia, afirmou que, na fase avançada do câncer de mama, a doença se espalha principalmente para ossos, pulmão, fígado e cérebro. Para o especialista, o SUS precisa dar atenção a essas mulheres acometidas pelo câncer. “Um país civilizado não é apenas o que faz diagnóstico precoce, mas o que cuida bem daquele paciente que tem um fim definido”. Segundo João Bosco, as mulheres com menos de 30 anos têm câncer de mama, em geral, mais agressivo. As idosas, por sua vez, apresentam baixa resistência a tratamentos.
Reações: