11 abril 2017

Para fugir da guerra, pedido de passaporte brasileiro cresce na Síria

O Consultado do Brasil em Damasco tem mais de 25 pedidos abertos de nacionalidade brasileira a sírios com alguma ligação com o Brasil. Desde que a guerra começou, em 2011, solicitações como esta saltaram na embaixada. "O pico foi no ano retrasado e no ano passado, quando recebíamos de 90 a 100 por mês", contou a chefe do departamento administrativo do Consulado do Brasil em Damasco, Mágida Hilal. Hoje, o órgão recebe cerca de 50 pedidos de nacionalidade por mês, de acordo com informações divulgadas pela Folha de S. Paulo. O aumento considerável das solicitações seria mais uma tentativa dos cidadãos sírios de fugirem da guerra que assola o país. "Há um número enorme de sírios-brasileiros que não falam português, que não têm ligação com o Brasil, mas que nasceram lá ou são filhos de descendentes sírios que nasceram no Brasil", explicou o diplomata Achilles Zaluar, que é a autoridade máxima da embaixada, pois o Brasil não tem um embaixador pleno instalado no país.
Reações: