05 abril 2017

GREVE EM BAURU: Prefeito não fará nova proposta

A manhã dessa terça-feira (4) foi marcada por intensas negociações entre prefeitura e Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Bauru e Região (Sinserm), com objetivo de colocar fim à greve, que completa nove dias nesta quarta (5), com adesão de 490 funcionários, segundo dados do Executivo. Já o Sinserm fala em 600 trabalhadores parados. Como não houve acordo, o prefeito Clodoaldo Gazzetta (PSD) bateu o martelo e disse que a última proposta apresentada ontem é a que estará no projeto de lei que será enviado à Câmara. O município ofertou duas contrapropostas em menos de duas horas, sendo a primeira repudiada de imediato pelo sindicato antes mesmo de comunicá-la aos trabalhadores, e a segunda rejeitada pela maioria em votação. Secretário da Administração, David Françoso disse, mais uma vez, que a prefeitura já chegou ao limite. Conforme o JC noticiou, a categoria havia apresentado ao prefeito Gazzetta, na última segunda-feira (3), novos números para análise, como parcela fixa de R$ 100,00, incorporada ao salário base de todos os servidores (a prefeitura oferece R$ 20,00). Solicitou ainda o vale-compra de R$ 410,00 imediato, pagos de forma retroativa a partir de 1 de março (na ocasião, o município havia oferecido R$ 392,00 agora e R$ 410,00 a partir de janeiro de 2018). Foram mantidos, contudo, os 2% de reposição salarial e o abono-refeição de R$ 350,00.
(JCnet)
Reações: