06 abril 2017

CONFLITO: EUA dizem à ONU que agirão na Síria se organização hesitar

A representante dos EUA no Conselho de Segurança da ONU criticou, nesta quarta (5), a atuação das Nações Unidas após o ataque químico que matou ao menos 72 pessoas na Síria na véspera e disse que os EUA podem ignorar eventuais vetos do conselho a uma ação no país árabe. Ela não deu detalhes do que seria essa ação. O presidente Donald Trump, por sua vez, atribuiu em entrevista coletiva ao lado do rei Abdullah, da Jordânia, o uso de armas químicas ao regime de Bashar al-Assad e disse que sua atitude em relação ao ditador e à Síria "mudou muito" após o ataque. Apesar de subir o tom, Trump se esquivou de falar em retaliação militar direta. Sua embaixadora na ONU, Nikki Haley, foi mais contundente. "Quando as Nações Unidas fracassam seguidamente em sua tarefa de atuar de forma coletiva, há momentos na vida dos Estados em que nos vemos impulsionados a atuar por conta própria", declarou.
Reações: