08 abril 2017

ACRE: Desaparecido dizia precisar 'terminar projeto e dar uma sumida'

Dentre todas as teorias que tomaram as ruas de Rio Branco (AC) por causa de um desaparecimento no final do mês passado, algo é certo: essa história acreana chama a atenção menos pelo sumiço e mais pelo personagem. "Leia-me, ó leitor, se em minhas palavras encontrar deleite, pois raramente no mundo alguém como eu nascerá novamente", escreveu o estudante de psicologia Bruno Borges, 24, na parede do seu quarto. Na versão da família, o ambiente foi encontrado ornamentado com uma estátua e trechos de 14 livros escritos à mão e criptografados. "Ele pode estar em uma tribo, no Santo Daime, num vizinho, sei lá, mas acredito que está bem", diz o pai, Athos Borges, 58, que já tem até planos para a publicação dos livros. "A hipótese mais provável é que [o sumiço] tenha sido um ato voluntário, sem violência", afirma Josemar Portes, secretário adjunto de Polícia Civil, enquanto a internet se encarrega de narrativas que envolvem rituais e abdução.
Reações: