18 março 2017

CARNE FRACA: Planalto minimiza grampo que flagrou ministro

O Palácio do Planalto tentou minimizar o grampo da Operação Carne Fraca que capturou uma conversa do atual ministro da Justiça, Osmar Serraglio (PMDB-PR), com o fiscal agropecuário Daniel Gonçalves Filho, superintendente do Ministério da Agricultura no Paraná entre 2007 e 2016, apontado como chefe da ação criminosa para venda de carne imprópria. Ontem, o ministro confirmou que ligou para o superintendente - a quem chamou de "chefe" - preocupado com o fechamento de um frigorífico no Paraná, onde fica sua base eleitoral. De acordo com a polícia, Serraglio, então deputado federal, ligou para Gonçalves Filho para perguntar sobre o possível fechamento do frigorífico Larissa, em Iporã (PR). "Recebi um comunicado dizendo que iam fechar o frigorífico, aí liguei. A expressão que a imprensa está [USANDO] explorando é porque eu o chamei de chefe. Ele era o chefe. Era o Superintendente do Paraná da Agricultura. Liguei para saber o que estava acontecendo", disse o ministro durante agenda em Porto Alegre (RS). Segundo Serraglio, Gonçalves Filho retornou a ligação e disse que a empresa iria permanecer aberta.
Reações: