13 março 2017

Bolsonaro afirma que violência se combate com 'porrada'

Citado como um dos nomes que devem concorrer às eleições de 2018 para presidente do Brasil e aparecendo, em uma das pesquisas realizadas pelo instituto Datafolha, com 9% das intenções de voto, o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ), de 61 anos, voltou a dar declarações polêmicas, em entrevista divulgada nesta segunda-feira (13). À Folha de S. Paulo, Bolsonaro disse acreditar no uso da violência como forma de combater a violência. "Você não combate violência com amor, combate com porrada, pô. Se bandido tem pistola, [a gente] tem que ter fuzil", afirmou. Ao falar sobre tortura, ele defendeu o que chama de "métodos enérgicos". "Tem de ter métodos enérgicos. Eu proponho, o Congresso aprova". Questionado se isso significaria bater, ele explicou: "Qual o limite entre bater e tratar com energia? Não tem limite, pô. O cara senta ali, faz a pergunta, ele responde. Se não responde, bota na solitária. Fica uma semana, duas semanas, três meses, quatro meses... Problema dele. Dá comidinha para ele, dá. Dá um negocinho para ele tomar lá, um pãozinho, uma água gelada, um 'brochante' (calmante) na Coca-Cola, tá tranquilo".
Reações: