22 março 2017

Ações de conscientização em todo o País marcam o Dia Mundial da Água

A água é o recurso mais importante para garantir a vida na Terra. Sem ela, nada sobrevive. Entretanto, será que esse tema tem recebido a devida atenção por parte da sociedade? É por esse motivo que se celebra nesta quarta-feira (22) o Dia Mundial da Água, data marcada por eventos que visam conscientizar a população, o poder público e as empresas sobre a necessidade de se economizar e tratar adequadamente este precioso bem. Segundo dados da ONU (Organização das Nações Unidas), cerca de um bilhão de pessoas em todo o mundo não têm acesso a um abastecimento adequado. Ou seja, não têm à disposição pelo menos 20 litros diários de água a uma distância de até um quilômetro. Considerando a escassez, a entidade criou o Dia Mundial da Água em 1992 e, desde então, a data ganha importância a cada ano. Na declaração da ONU Água feita em 2010 especificamente para essa data, a entidade destacou que “há uma necessidade urgente para a comunidade global – setores público e privado – de unir-se para assumir o desafio de proteger e melhorar a qualidade da água nos nossos rios, lagos, aquíferos e torneiras”. Em 2015, a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável foi assinada por 193 membros da ONU . O documento prevê 17 objetivos a serem cumpridos até 2030, entre ele a busca por “assegurar a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todos”. No Brasil, os ministérios do Planejamento e do Meio Ambiente irão aproveitar a data para a divulgação de novas tecnologias. Será montado em Brasília um protótipo do projeto Salta-Z, que é um filtro alternativo para o tratamento de água muito utilizado nas comunidades rurais. O projeto foi criado na região Norte com o objetivo de providenciar água potável a comunidades ribeirinhas. Segundo o governo federal, o sistema é composto por carvão ativado de ossos bovinos, pedriscos, areia e por um clorador que realiza a desinfecção da água, tornando-a apta para consumo humano. O custo é 25% menor do que um filtro tradicional. Em São Paulo, a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) anunciou a criação do programa Água Legal, cujo objetivo é evitar a perda de 3,3 bilhões de litros em ligações clandestinas. Cerca de 600 mil pessoas serão beneficiadas. O investimento é de R$ 162 milhões até 2018.
(IG)
Reações: